03

9781853262715

Terminar as coisas é muito importante para quem tem DDA, porque uma das características dos portadores é sempre deixar inúmeras coisas sem término. E eu sou muito assim. Meu rol de coisas não terminadas é imensamente maior do que o daquilo que eu terminei. É muita coisa, talvez eu fale algum dia ainda sobre isso.

Hoje eu terminei de ler Ana Karênina (como é o título da versão que eu li). E isso me faz feliz, porque eu tenho inúmeros livros sem terminar. Mas uma coisa a que eu estou me obrigando é a terminar o que eu começo, mesmo que assim, devagar, em baby steps. Foi de uma sentada que li as primeiras 300 e poucas páginas desse livro.  Depois empaquei, li outros na frente, me embolei (como é o rotineiro pra mim, não é que eu não estava gostando, estava adorando, mas como boa DDA, me enrolei no caminho)  mas resolvi voltar, até porque eu tenho mesmo esse projeto de ler os clássicos. Então, hoje terminei esse livro, o que é uma pequenina vitória pessoal.

E resolvi que vou ler somente 3 livros ao mesmo tempo agora. Um clássico, um de literatura mais moderna e algum outro correndo por fora. Não sei se dos clássicos eu encaro agora O Mundo se Despedaça ou Moby Dick. Acho que vou de O Mundo se despedaça, porque é menor e mais atual. Preciso também de terminar O Farol, que comecei ano passado e pra variar, larguei. Mas vejamos como sigo. Baby steps, baby, baby steps.

Também tem 3 dias que eu consigo meditar pela manhã, 3 dias seguidos pode parecer pouco, mas é uma vitória pra mim.

E também estou pensando em colocar os outros dois blogs aqui mesmo, o Leveza e o de Livros, talvez seja mais produtivo pra mim concentrar tudo num lugar só. Vamos ver. Vou pensar.

A Revolução Francesa Explicada à Minha Neta
Leituras de 2012

One comment

  1. K. disse:

    Dificilmente deixava um livro sem terminar.Agora so leio mesmo esses de embotar a mente. Sabe aqueles levinhos, sem questionamentos, com dramas faceis de resolver? Então.
    Ana Karenina li ha muitos e muitos anos, não me lembro mais.Mas dos russos,prefiro Dostoievski a Tolstoi, de qualquer forma.
    Não que eu me lembre algo dos Irmãos Karamazovi por exemplo, ou de Crime e Castigo e olhe, ja li duas vezes cada um.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *