780

Clique para ampliar. Porque é lindo.

Para quem eu vou deixar o que eu sou? E o que eu sei?

Preciso aprender a ser menos ingênua e deslumbrada.

E preciso encontrar a minha turma.

Até hoje só uma coisa que eu quis muito, muito eu não consegui. Mas agora vão se inteirando duas…

E quando não se está completa, o que fazer? nem todo zen do mundo pode me consolar.

E as pessoas são caixinhas de surpresas. Às vezes aterrorizantes. Agora conta uma novidade, por favor.

Preciso de um outro blog, mas pra que tanto blog? Eu já tenho tanto caderno em branco. Mas eu precisar mesmo de uma nova identidade. E não sei pra que escrever tanto e tanta besteira.

Como é que se faz para deixar de ser egoísta e imatura?

E eu canso de ter saudade do que não vivi, do que eu não tenho, das pessoas que não estão aqui. Que nunca estiveram. Devia ter um nome esse sentimento, saudade do que não existiu.

Mas isso tudo, provavelmente são os hormônios falando mais alto. E eu se pudesse teria mais uns 3 filhos. Se eu ganhasse na mega sena, por supuesto.

Acho que nós humanos temos muito pouco tempo de vida adulta.

É inacreditável a força que o desejo tem na vida da gente. E também o tamanho do nosso desconhecimento dos nossos desejos mais profundos. Lição aprendida, vida.

“O que fica, no final de tudo, são as fotos. Sorria!”


Se a sorte está com você, pra quê pressa?

Se a sorte está contra você, pra quê pressa?

Provérbio afegão

E agora José?
riposi in pace

3 comments

  1. Lolló disse:

    *abraça*

  2. Isabella disse:

    Adoro ver você escrevendo de novo, Nalu!
    Beijo.

  3. Chris disse:

    Nalu, que delícia ver seu blog cheio de posts, novamente!
    Adorei a tirinha, realmente, é muito linda…

    Beijocas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *