As coisas que eu penso e que ninguém quer entender

Recheios de Agosto

scumbag-brain-depressed

Quando eu saí de uma importante depressão, eu disse a mim mesma que o mundo no qual eu acreditava deveria existir em algum lugar do planeta. Nem se fosse apenas dentro de mim… Mesmo se ele não existisse em canto algum, se eu, pelo menos, pudesse construi-lo em mim, como um templo das coisas mais bonitas em que eu acredito, o mundo seria sim bonito e doce, o mundo seria cheio de amor, e eu nunca mais ficaria doente. E, nesse mundo, ninguém precisa trocar amor por coisa alguma porque ele brota sozinho entre os dedos da mão e se alimenta do respirar, do contemplar o céu, do fechar os olhos na ventania e abrir os braços antes da chuva. Nesse mundo, as pessoas nunca se abandonam. Elas nunca vão embora porque a gente não foi um bom menino. Ou porque a gente ficou com os braços tão fraquinhos que não consegue mais abraçar e estar perto. Mesmo quando o outro vai embora, a gente não vai. A gente fica e faz um jardim, qualquer coisa para ocupar o tempo, um banco de almofadas coloridas, e pede aos passarinhos não sujarem ali porque aquele é o banco do nosso amor, do nosso grande amigo. Para que ele saiba que, em qualquer tempo, em qualquer lugar, daqui a não sei quantos anos, ele pode simplesmente voltar, sem mais explicações, para olhar o céu de mãos dadas. Rita Apoena

Setembro chegou e eu nem notei. Agosto foi estranho, deprimente, estranho, me deixei levar, me deixei pegar pela onda negra de novo.

Não tenho o que falar, ainda não saí de agosto. Vou colocar pra não perder o hábito, mas na verdade não fui anotando o que me aconteceu em agosto, escrevo agora o que me lembro, agosto começou cedo e ainda não terminou, espero que dessa segunda não passe.

Agosto

Filmes

  • Quem quer ser um milionário
  • Crepúsculo
  • Lua Nova
  • Juntos pelo acaso

Alegrias

  • Confraria com presença da Sylvia
  • Grupo corpo com Isa e Sylvia
  • Aniversário do Tatá
  • Nascimento do Paulo César
  • Volta da Penha

Livros

  • A Distância entre nós –  Thrity Unrigar
  • Mulheres – Charles Bukowski
  • O Caderno de Lory Lamb –  Hilda Hist
  • Meditação da Plena Atenção – Bante Henepola Gunarati

Cozinha

  • Não aconteceu.

Agosto Wilson Simoninha

Fui eu quem se fechou no muro
Cinzas de agosto e na mesa o vinho derramado

One comment

  1. Bianca disse:

    Adorei o texto Naná e te digo que por incrível que pareça tem muita gente que quer esse mundo de amor que nós queremos viu?? Por isso aquela meditação pela paz mexeu muito comigo, sabe quando uma esperança renasce?? Parece piada mas é muito verdadeiro.

    Com o meu amor vc pode contar

    te amo

    mil beijos

    Bibi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *