Archive for viagem

Estoy, Buenos Aires, anclao en Paris.

parisonhop

“Paris é o mundo, o resto do planeta Terra é apenas seu subúrbio.”

Marivaux

=====

Terminei de ler Comer, Rezar, Amar. Gostei, a leitura me prendeu bem. E com um bebê pequeno, sem dormir, tinha que ser uma leitura que prendesse mesmo, e assim, levinha, descompromissada. E só isso que eu quero atualmente, descompromissos, porque vida de mãe já é sinônimo de compromisso, vida de trabaiadôra também, então, me poupem e livrem de compromissos. E eu que não vou solicitar mais nenhum né? Por isso uma salva de palmas para as leituras fáceis, delicinhas, que tornam minha vida mais divertida. Aliás, tudo que torna minha vida mais divertida eu ando buscando. Agora que saí do doutorado é que não quero ler nada por compromisso, mesmo. Mas esse não é o único livro que estava lendo, também leio agora O Herói Interior e Paris, Uma Biografia.

.

Por isso vou começar a ler talvez O Corcunda de Notre-Dame. E depois uma série de livros sobre Paris, porque um dia nessa vida quero conhecer essa cidade… (Acho que depois que ganhei aos seis anos A Iha Perdida e um abajour pra não acordar minha irma quando eu lia eu nunca mais fiquei um dia sequer nessa vida sem estar lendo algum livro.)

.

Engraçado é que eu sempre achei Paris clichê, nunca antes tinha me atraído. Queria tanto ter ido a Cuba antes, nunca imaginei que eu um dia quereria conhecer Paris antes de conhecer Cuba. Mas acabou acontecendo, eu não quero mais ir em Cuba, não agora, e talvez não vá. Porque viagem internacional eu sei que só poderei fazer, se puder, algumas poucas nesta vida e há que se priorizar, e agora Cuba saiu de cena… e não pergunte, porque eu não sei exatamente porquê.

.

Continuo achando, na verdade, que Paris é o maior clichê, mas clichês deste tamanho há que se conhecer. E na verdade eu não tenho mesmo nada contra os pobres clichês não… Sei lá, o que me deu. E nem é plano pra agora, é para um dia, quem sabe… E na por isso estou querendo ler sobre a cidade, ver filmes e quem sabe até arriscar aprender algum francês, depois que eu resolver minha eterna briga com o inglês… Enfim, sei lá, depois de não querer compromissos, talvez a moda seja inventar o que fazer. E eu estou procurando algo pra planejar, pra encher meus dias de novo. Sou movida a projetos, descobri isso… (Alguém não é?)

.
Quem quiser fazer a gentileza de sugerir, livros, filmes e músicas que envolvam Paris, por favor deixe a sugestão nos comentários.

=====

O título do post é de um tango de Carlos Gardel, Anclao en Paris. Na verdade, eu não consegui saber ao certo se é anclao ou anclado. O certo talvez seja anclado, ancorado, mas surge muito anclao também. E talvez fosse, ou seja ainda, uma forma das ruas de dizer anclado, não sei…

nostalgia

Hoje, no meu google reader, eu tava lendo um post de um blog que eu sigo, e nostálgica, pensando num lugar que fosse também meu estado de espírito, como a moça do blog fala que os dela são Paris e São Tomé das Letras.

E me deparo com essa foto, que me fez voltar uns 20 anos ao passado. Nesse lugar, bem ai nessa calçada, eu ajudava os hippies meus amigos na época, a vender artesanato. Imediatamente eu me transportei pra lá, pra esse momento no tempo. Cara, que saudade…Época boa, intensa, cheia de vida. Preciso voltar lá um dia desses.

Saudades daquele estado de espírito.

novos ares

Eu ainda não fui. Vacilei um monte de vezes, queria e não queria ir, e ainda penso um pouco. Francamente, essa cidade não estava nos meus planos de viagem tão cedo. Na verdade, talvez nunca. Mas numa destas viradas do destino, parece que eu vou mesmo pra lá. Sem ser como turista ainda por cima. Daí fui descobrindo sobre a cidade e acho que pode virar um caso de amor. Como com São Paulo, que também nunca faria parte dos meus sonhos ou destinos de viagem, mas que acabou virando um dos lugares que eu mais amo nesta vida.

Ando ouvindo o pouco que conheço de música da Argentina. Soda Stereo, Redonditos de Ricota, Carlos Gardel, Gotan Project, Piazzola. É vergonhoso conhecer tão pouco. Poesia então, nada, nada, somente essa moça aí e Borges e um pouco da poesia de Cortázar.

Espero conhecer mais em breve, se der tempo. Gostaria de conhecer a poesia argentina, deve ter coisa legal. O bom é ir à terra de Cortázar que é o escritor que eu mais gosto. E desde tempos bem longínquos, eu gosto bastante dos Redonditos.

Então, hasta luego, quizás.

BUENOS AIRES

Antes yo te buscaba en tus confines
que lindan con la tarde y la llanura
y en la verja que guarda una frescura
antigua de cedrones y jazmines.

En la memoria de Palermo estabas,
en su mitología de un pasado
de baraja y puñal y en el dorado
bronce de las inútiles aldabas,

con su mano y sortija. Te sentía
en los patios del Sur y en la creciente
sombra que desdibuja lentamente

su larga recta, al declinar el día.
Ahora estás en mí. Eres mi vaga
suerte, esas cosas que la muerte apaga.

Jorge Luis Borges