Fui eu quem se fechou no muro

Recheios de Setembro


“Hoje me deu uma tristeza,
sofri três tipos de medo
acrescido do fato irreversível:
não sou mais jovem.
Discuti política, feminismo,
a pertinência da reforma penal,
mas ao fim dos assuntos
tirava da bolsa meu caquinho
de espelho
e enchia os olhos de lágrimas:
não sou mais jovem…”

Adélia Prado

——

Que não falte a falta. Mas como falta né?

E como falta, como a gente sente falta e falta aos outros a nós mesmos a tudo. E como é difícil ser artista da própria vida (segundo o Bauman, nesse livro lindo, A Arte da Vida, somos todos, queiramos ou não artistas da própria vida. Não artífices, artistas mesmo.) Ele conseguiu fazer com que o projeto do Sartre ficasse ainda mais difícil. E  eu rio né? Porque de arte a minha vida no momento não tem nada. Tem muito é de juntar pedacinhos de mim mesma. Não, nada mudou, continuo aqui no mesmo lugar, do mesmo jeito, mesmo status quo de anos atrás. Mas em julho eu simplesmente pirei, chutei o balde, e adoeci. E agora tô começando a me recuperar. Nada grave, mas nada simples também. E esses últimos meses tem sido assim, meio parados, meio sem recheio, só o arroz com feijão mesmo e tá bom, muito bom, ainda tenho que agradecer o trivial.

Mas agora outubro, mês bonito, que eu sempre gostei, que vem renovando, vem anunciando o fim do ano, o fim da época. Que: se é boa pra que pressa? E se é ruim: pra que pressa?

Que venha outubro. E que venha saúde, alegria e temperança.

Livros

  • A casa dos budas ditosos – João Ubaldo Ribeiro
  • Serena – Ian McEwan
  • A Polaquinha – Dalton Trevisan
  • @mor – Daniel Glattauer
  • Cada siete olas – Daniel Glattauer
  • A História de O –  Pauline Réage
  • A Queda – Diogo Mainardi

Filmes

  • A Mulher de Preto
  • Nove Rainhas

Alegrias

  • Primavera de origami nos museus
  • Muitos livros convertidos em epub:)
  • Cuidar de mim
  • Rendimento do Tatá na escola
  • Uma benção de uma amiga querida
Cozinha
  • Comfort food pro filhote
Não teve confraria:(

Manhãs de setembro

Até outubro esperei
As coisas que eu penso e que ninguém quer entender

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *